OPEN CALL! Fortaleza, Brasil. Tendo em vista que neste ano de 2014 lembramos dos 50 anos do início da ditadura militar de 1964-1985, diante dos fatos que a Comissão Nacional da Verdade e inúmeras outras Comissões de Verdade espalhadas pelo Brasil têm apresentado de modo enfático, ou seja, que esse período ditatorial foi marcado por violências, pela utilização indevida do Estado como agente de terror e de desaparecimento de membros da oposição, temos a certeza de que o Brasil vive um momento histórico, que exige o encontro com a verdade, a memória e a justiça no que se refere a esses crimes perpetrados pela ditadura e seus agentes.

Sendo assim, nós abaixo-assinados consideramos um verdadeiro acinte à memória dos que caíram lutando pelo fim daquele regime arbitrário, que o maior e mais importante monumento referente àquele triste período de nossa história seja o “Mausoléu Castelo Branco”, obra de 1972, inaugurada pelo então presidente Garrastazu Médici, e que faz parte do conjunto arquitetônico do Palácio da Abolição em Fortaleza, sede do Governo do Estado do Ceará. Ao invés dessa homenagem a um presidente daquele período de exceção, hoje em dia totalmente descabida, propomos que esse mausoléu seja transformado em um memorial em homenagem aos que lutaram contra a ditadura. Sugerimos que o mausoléu abrigue um espaço de exposições homenageando a Frei Tito, vítima cearense emblemática da ditadura. Dessa forma estaremos reforçando uma cultura democrática, com os direitos humanos no seu cerne e que, mais do que nunca, é necessária de ser fomentada entre nós.